sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

BD0305Rec. O filho de Zama

A colaboração entre Vitor Péon e Edgar Caygill estendeu-se a temas para além do Oeste. As páginas associadas a Zama são uma dessas incursões em outras áreas e, iniciando-se no fascículo 204 do MA, estenderam-se até ao número 210.
Uma das curiosidades desta história é a própria participação dos autores como objeto de ilustração o que nos é fornecido nas pranchas iniciais. Comece-se por aí a leitura da história e imaginem-se os dois autores deitados, descontraídos, num quarto da Lisboa dos anos 50 a delinear novas aventuras.
Quanto a Zama: não reúne as minhas melhores simpatias quer pelo tema quer pelo desenho. Por vezes, Péon tem um traço esquisito em que anatomicamente as suas personagens surgem deformadas...
 
 

1 comentário:

  1. Saudações,
    Esse "mau jeito" no desenho é compreensível nessas primeiras histórias...
    Vitor Péon é um clássico da BD portuguesa com uma arte original e bem reconhecível. Um bom exemplo dos seus trabalhos (e o que me veio primeiro à memória) é uma história sobre os Templários, editado pela Gulbenkian - muito BOM.
    Obrigado por esta BD.

    ASantos

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...